Primeiro lugar no Inova Firjan SENAI, PL Eco reaproveita resíduos da indústria avícola para a construção civil | Cursos Firjan SENAI

Blog




O projeto de alunos da Firjan SENAI Barra Mansa, que ficou em primeiro lugar no Demoday Inova Firjan SENAI, utiliza penas descartadas da indústria avícola como alternativa ao plástico para dar uma nova vida a esse tradicional resíduo. Estima-se que o setor gere no país, a cada ano, mais de 1 bilhão de toneladas de penas, que devem ter um descarte sustentável. E é exatamente isso que propõe o PL Eco, ao transformar as penas em insumo para a indústria da construção civil. 

Os resíduos de penas de frango, que são gerados em quase todo o mundo em grandes quantidades, são normalmente incinerados ou acabam em aterros ou ainda como ração animal de baixa qualidade. O projeto PL Eco mostra, justamente neste ponto, uma visão inovadora. A equipe formada por quatro alunos – Clara Araújo Magalhães de Paula, de 18 anos; Juliana Gomes Valle, de 20 anos; Ramon Santiago Prata, de 18 anos; e Thaisa Christina da Silva Gonzaga, de 19 anos – observou que penas de galinhas poderiam ser reaproveitadas na construção civil.  

O PL Eco tem dois produtos: placa cimentícia e manta termoacústica. “O primeiro é uma mistura de materiais usados na construção civil junto com a pena que, por sua vez, tem propriedades termoacústicas, conta com uma fibra natural e evita trincas e fissuras. É um polímero fibroso natural e isso gera maior resistência para a massa. Já a manta termoacústica, como o próprio nome diz, possui propriedades térmicas e acústicas naturais, sendo um elemento de preenchimento que vai no meio da estrutura”, explica Pedro Henrique Oliveira, instrutor da Firjan SENAI Barra Mansa, que orientou os alunos.

Uma das integrantes da equipe do PL Eco, Thaisa Christina da Silva Gonzaga, explica que o projeto surgiu em um Grand Prix de ideia, quando o grupo cursava o técnico em Eletricista Industrial pela Firjan SENAI. “O PL Eco é versátil tanto para casas de alvenaria como para construção a seco steel frame. Os dois produtos serão comercializados nas dimensões 60 cm por 1,20 m. A placa é um elemento de vedação que vai na parte externa da estrutura. Já a manta é um elemento de preenchimento”, acrescenta. 

O PL Eco traz inúmeros benefícios para a indústria. O consumidor ganha, bem como o fabricante, que adquire um produto de baixo custo com propriedades muito eficientes, substituindo polímeros sintéticos e minerais que podem causar danos ao meio ambiente. 

Thaisa fala das expectativas em torno do projeto: “O curso de Eletricista me influenciou porque eu estava acabando de sair do Ensino Médio à época. Junto com o desafio de aprender elétrica nasceu o PL Eco, que é meu xodó. Hoje em dia, estou no curso Técnico em Logística, também da Firjan SENAI, que me ajuda muito a ver o mercado com novos olhares e perceber o quão o esforço do indivíduo é um diferencial. Com a influência do PL Eco na minha vida, pretendo futuramente fazer faculdade de Engenharia Civil”, conta ela.